Jogadores de futebol e fãs ingleses acabarão com o estigma em torno de jogadores homossexuais

Muito pelo contrário. É mais provável que seja a falta de fé a longo prazo tanto em jogadores como em fãs – certamente os dois grupos mais importantes envolvidos – por órgãos de governo, grupos de pressão e mídia que tem adicionado à turbulência da cultura do medo dentro do jogo. Compare o tweet de Shaw com o estranho filme anti-homofobia da FA há apenas cinco anos – eles estão separados pelo mundo – principalmente porque essa geração de jogadores simplesmente não tem o mesmo fator de medo quando se trata de sexualidade. Todos os filmes da campanha e os bônus de apostas desportivas laços do arco-íris no mundo não substituem a potência despreocupada da juventude com 140 caracteres de sobra.

Também não são um fósforo pelo poder da solidariedade do jogador e do auto-controle pelos fãs.Nos anos que passou, isso pode significar uma mensagem insolente sob uma camisa de clube em relação ao primeiro, e uma conversa severa nos terraços no caso do último. A chegada do Twitter no entanto, amplifica uma perspectiva positiva mais do que nunca. Coloque-o desta forma – se um jogador saiu amanhã, você poderia ver seriamente tudo menos uma inundação de tweets de apoio de outros futebolistas e fãs? É a história que não vai embora, mas a reação dos fãs de futebol não é uma hostilidade, mas cansaço.

Dê uma olhada na seção de comentários em qualquer história recente sobre futebolistas que saem. Além do estranho flash de fanatismo, um tema continua retornando – tédio. É a história que não vai desaparecer, mas a reação dos fãs de futebol não é hostilidade, mas cansaço.Respostas como “Quem se importa?” E “É 2015” sugerem uma crescente raiva não direcionada aos jogadores em questão, mas o próprio debate.

Redes sociais tem – como bares e discotecas tradicionais tradicionais continuam a fechar – proporcionou uma plataforma mais sutil e matizada para a paragem sexual. O jogador de Rugby Sam Stanley apresentou em silêncio seu namorado em uma série de fotos da Instagram antes de sair, difundindo assim qualquer drama da situação. Não há nenhuma razão para os jogadores de futebol de hoje sofrerem as mesmas surpresas desabafadas no topo dos bônus para novos clientes quadros suportados pelos membros da banda boy-boy do início dos anos 2000 (muitas vezes com pouca escolha ou aviso) quando uma foto de um ente querido pode filtrar lentamente através das mídias sociais fazendo o mesmo ponto . Uma mudança de lúguida para adorável.

Isso não quer dizer que as condições são perfeitas.Enquanto as redes sociais podem oferecer uma nova sutileza e controle ao processo de saída, ela traz consigo um público global. Talvez isso, mais do que qualquer outro motivo, pode explicar por que o futebol inglês se perdeu à beira dos últimos 10 anos. O velho inimigo – a imprensa inglesa – era pelo menos familiar. A web mundial oferece adversários menos aconchegantes.

No entanto, se os jogadores ingleses optarem por avançar nesse cenário global, eles não estarão sozinhos.Eles serão acompanhados pelo Robbie Rogers dos EUA, o sueco Anton Hysén e o alemão Thomas Hitzlsperger (uma idade média de 28 entre eles), bem como inúmeros outros jogadores da liga baixa que vieram nos últimos cinco anos e prosperaram.

Pode ser ingênuo sugerir que, como com o apostas live adolescente fechado (e há paralelos definitivos aqui para o futebol), a única coisa a temer é o próprio medo, mas aqueles que sugerem essa nova geração de jogadores e fãs não podem lidar com a sexualidade de seus colegas e dos heróis talvez use uma lembrança.